A cirurgia paraendodôntica é um procedimento cirúrgico relacionado a problemas nos dentes despolpados ou periodônticamente envolvidos que necessitam de amputação da raiz e tratamento endodôntico.

Nas últimas décadas tem havido acentuado progresso nas técnicas de endodontia não cirúrgicas, o que tem causado um aumento na percentagem de casos bem sucedidos, tal sucesso tem reduzido a incidência de cirurgias. Os dentistas, inicialmente, tratam a maior parte dos casos sem cirurgias, Apesar da lista das indicações cirúrgicas ter diminuído, existem casos definidos nos quais o dente não pode ser salvo sem cirurgia .

O insucesso do tratamento de canal pode ser complexo, mas geralmente resulta de uma remoção incompleta dos irritantes intra canais e da falta de obturação completa do canal radicular. Quando uma radiografia revela canal inadequadamente obturado, há áreas de reabsorção óssea associadas a estes canais, dentes com dor, inflamação persistente e fístulas indicando irritação constante, primeiro se avalia a possibilidade do retratamento endodôntico, mas se isto não for possível, devido a dificuldades de acesso aos canais radiculares para retratamento do canal, como presença de instrumentos fraturados que não podem ser removidos, dificultando ou impossibilitando o retratamento, próteses com pinos extensos que sua remoção se tornaria um risco de fratura de raízes e custo adicional ao paciente por possível perda da prótese, ou degraus intransponíveis, que são falhas realizadas pelo dentista durante a realização do tratamento endodôntico, tudo isto dificultando acesso livre aos canais para limpeza e instrumentação correta, devendo este ser feita via retrógrada ou seja pelo acesso cirúrgico, onde é feito um corte na gengiva (incisão),

Para exposição da área que apresenta o problema, geralmente em contato com o ápice radicular (ponta da raiz) para curetagem da lesão e se necessário apicetomia (corte da ponta da raiz) para posterior vedamento do forame apical, impedindo deste modo que possíveis produtos tóxicos dos canais radiculares cheguem a área apical.

Mesmo apresentando muitas indicações a cirurgia paraendodôntica não deve ser realizada indiscriminadamente, devendo ficar limitada a casos em que o tratamento de canal não pode resolver o problema do paciente.